Sobre o violão popular:

O violão popular se emprega no acompanhamento e na composição de música popular, e também na execução em trechos simples da música clássica. No propósito técnico, resume-se na utilização do baixo cifrado, ou harmonia cifrada, e na clareza rítmica para utilização dos compassos, sem utilização de partitura; o aprofundamento do violonista popular no estudo da harmonia e das técnicas de improvisação, usando desenhos de acordes e escalas, o leva a uma riquíssima capacitação para execução e composição da música popular.

Sobre o nome:

No português, o nome “guitarra” se aplica ao instrumento acústico ou elétrico indistintamente. No Brasil manteve-se o nome mais comum violão para a guitarra clássica. Em Cabo Verde também usam o nome violão. Acredita-se que o nome venha diretamente do termo “viola”, que designa as violas portuguesas, da qual a viola caipira brasileira é uma evolução. Embora tenha diferenças de timbre e de quantidade de cordas, a estrutura da viola é muito parecida com a guitarra, apenas menor. Apesar de referir-se ao mesmo instrumento que a guitarra, a origem linguística do nome “violão” foi o termo “viola”, acrescentado o “ão”.

Curiosidades sobre o Violão:

Por um bom período o violão no Brasil sofreu preconceitos, devido a ser o instrumento preferido dos boêmios e seresteiros, levando o nome de “instrumento marginal”. Felizmente esse fato já foi superado.
A Viola portuguesa possui as mesmas formas e características do Violão, sendo apenas pouco menor.
O violão de dez cordas, foi trazida pelos jesuítas portugueses, esse violão é conhecido como violão clássico, até a metade do século XX todas as cordas agudas de violão eram feitas de tripa.
.